Publicidade

Diário Liberdade
Sábado, 24 Março 2018 07:08 Última modificação em Quarta, 28 Março 2018 22:16

Conselho de Direitos Humanos da ONU condena sanções unilaterais contra Venezuela

Avalie este item
(1 Voto)
País: Venezuela / Direitos nacionais e imperialismo / Fonte: AVN

O Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU) aprovou a resolução proposta pelo Movimento dos Países Não Alinhados (Mnoal), presidido pela Venezuela, condenando as medidas coercitivas unilaterais impostas pelo governo dos (EUA) contra a nação, informou nesta sexta-feira o chanceler da República Bolivariana, Jorge Arreaza.

"O Conselho de Direitos Humanos ONU aprova resolução apresentada pela Venezuela -Presidência Mnoal-, condenando as medidas coercitivas unilaterais (sanções). Vejam a votação. São notáveis as pretensões arrogantes de dominação dos EUA e seus aliados. Triunfo do multilateralismo e da paz", escreveu Arreaza em sua conta no Twitter.


Na rede social, o ministro das Relações Exteriores divulgou o conteúdo da resolução, que apresentou no 37º período de sessões do Conselho de Direitos Humanos da ONU, realizado entre os dias 26 de fevereiro e 23 de março, ocasião em que denunciou o efeito negativo das ações de intervenção promovidas pelo governo estadunidense e países europeus aliados contra a Venezuela.

Durante seu discurso, em 26 de fevereiro, na 37ª Reunião do Segmento de Alto Nível do Conselho de Direitos Humanos da ONU, em Genebra, Arreaza explicou que no ano passado representantes da Casa Branca realizaram 735 pronunciamentos ou comunicados contra o país e neste ano já são 105 declarações.

Também recordou as declarações do presidente dos EUA, Donald Trump, em 2017, que ameaçou a Venezuela com uma intervenção militar; além das sanções impostas para prejudicar a economia e a qualidade de vida do povo e o financiamento aos ataques violentos da oposição venezuelana durante quatro meses. Mencionou ainda o chamado do então secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, à Força Armada Nacional Bolivariana (FANB) para derrubar o governo do presidente Nicolás Maduro.

"Queremos advertir aqui, no Conselho de Direitos Humanos, o perigoso cenário que pretendem gerar o governo dos Estados Unidos e seus aliados, a partir das sanções econômicas que fazem dano ao povo venezuelano, da pressão, extorsão política e financeira que exerce Washington sobre governos da Europa e da região latino-americana e caribenha, e a partir de uma feroz guerra psicológica e midiática muito bem planejada e financiada, em que se pretende fazer acreditar ao mundo que na Venezuela existe uma crise humanitária. Velho truque unilateralista", destacou Arreaza em Genebra.

Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Doaçom de valor livre:

Microdoaçom de 3 euro:

Adicionar comentário

Diário Liberdade defende a discussom política livre, aberta e fraterna entre as pessoas e as correntes que fam parte da esquerda revolucionária. Porém, nestas páginas nom tenhem cabimento o ataque às entidades ou às pessoas nem o insulto como alegados argumentos. Os comentários serám geridos e, no seu caso, eliminados, consoante esses critérios.
Aviso sobre Dados Pessoais: De conformidade com o estabelecido na Lei Orgánica 15/1999 de Proteçom de Dados de Caráter Pessoal, enviando o teu email estás conforme com a inclusom dos teus dados num arquivo da titularidade da AC Diário Liberdade. O fim desse arquivo é possibilitar a adequada gestom dos comentários. Possues os direitos de acesso, cancelamento, retificaçom e oposiçom desses dados, e podes exercé-los escrevendo para diarioliberdade@gmail.com, indicando no assunto do email "LOPD - Comentários".

Código de segurança
Atualizar

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar