Publicidade

Diário Liberdade
Publicidade
Publicidade
Sexta, 23 Fevereiro 2018 11:10 Última modificação em Terça, 27 Fevereiro 2018 21:28

É o Exército que está ocupando o Rio, mas eles dizem que não é intervenção militar

Avalie este item
(1 Voto)
País: Brasil / Repressom e direitos humanos / Fonte: Causa Operária

Desde o último dia 16, as Forças Armadas estão autorizadas, por meio de um decreto presidencial, a controlar diretamente a Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro, que é o segundo Estado mais importante do Brasil. Ao controlar a Segurança Pública, que engloba a Polícia Civil, a Polícia Militar e os bombeiros, as Forças Armadas detêm, desde então, o controle de todo o aparelho de repressão do Rio de Janeiro – e, consequentemente, podem determinar tudo o que deve ou não acontecer no Estado.

O decreto do dia 16 estabelece, claramente, uma intervenção das Forças Armadas no Governo do Rio de Janeiro – isto é, uma intervenção militar. No entanto, como o termo “intervenção militar” é altamente impopular, a imprensa burguesa tem inventado mil artimanhas para esconder o fato de que a truculência e o autoritarismo da ditadura militar estariam reaparecendo no cenário brasileiro. A expressão favorita da imprensa burguesa tem sido “intervenção federal”.

De fato, a intervenção foi autorizada a partir de um decreto instituído pela Presidência da República – o que, nesse sentido, caracterizaria uma intervenção de caráter federal. No entanto, isso é uma mera formalidade, pois a intervenção não foi uma proposta que surgiu livremente de Temer, mas sim uma imposição do bloco golpista que controla a Presidência desde o golpe de 2016 e que, preocupado com a reação à prisão de Lula, prepara um golpe militar em todo o país. Por isso, é necessário ser dito com toda a clareza: o que há no Rio de Janeiro é uma intervenção militar.

A intervenção militar em escala nacional já vem sendo calculada desde o momento em que o imperialismo começou a fomentar o golpe de Estado contra Dilma Rousseff. Afinal de contas, o programa de destruição nacional que o imperialismo quer impor aos brasileiros tornará inevitável uma reação gigantesca da população. Por isso, é necessário que todos os setores atingidos pelo golpe de 2016 se organizem em comitês de luta contra o golpe para combater a perseguição ao ex-presidente Lula, a intervenção militar no Rio de Janeiro e o iminente golpe militar nacional.

Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Doaçom de valor livre:

Microdoaçom de 3 euro:

Adicionar comentário

Diário Liberdade defende a discussom política livre, aberta e fraterna entre as pessoas e as correntes que fam parte da esquerda revolucionária. Porém, nestas páginas nom tenhem cabimento o ataque às entidades ou às pessoas nem o insulto como alegados argumentos. Os comentários serám geridos e, no seu caso, eliminados, consoante esses critérios.
Aviso sobre Dados Pessoais: De conformidade com o estabelecido na Lei Orgánica 15/1999 de Proteçom de Dados de Caráter Pessoal, enviando o teu email estás conforme com a inclusom dos teus dados num arquivo da titularidade da AC Diário Liberdade. O fim desse arquivo é possibilitar a adequada gestom dos comentários. Possues os direitos de acesso, cancelamento, retificaçom e oposiçom desses dados, e podes exercé-los escrevendo para diarioliberdade@gmail.com, indicando no assunto do email "LOPD - Comentários".

Código de segurança
Atualizar

Publicidade
Publicidade

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar