Publicidade

Diário Liberdade
Terça, 07 Fevereiro 2017 04:35 Última modificação em Sexta, 10 Fevereiro 2017 18:20

EUA: 50 anos da fundação do Partido dos Panteras Negras

Avalie este item
(0 votos)
País: Estados Unidos / Resenhas, Antifascismo e anti-racismo / Fonte: A Nova Democracia

No dia 15 de outubro de 2016 se celebrou os 50 anos da fundação do Partido dos Panteras Negras, uma organização das massas populares negras, sobretudo jovens, surgida no seio da sociedade estadunidense nos anos de 1960 com o intuito de resistir contra as opressões racial e de classe praticadas pelo Estado imperialista do USA. Fundada por Huey Newton (1942-1989) e Bobby Seale (1936), dos guetos e periferias, jovens, mulheres e homens negros, acercados do marxismo-leninismo e do pensamento mao tsetung como guia teórico para a ação, passaram a resistir com luta armada à feroz violência policial racista, travando a luta num terreno completamente militarizado e vigiado pelos serviços de espionagem ianques.

Devido à sua inserção nas massas e ações que desestabilizaram a velha ordem de opressão, a organização passou a ser alvo de infiltrações, espionagens e da sistemática violência do Estado, que após assassinar centenas de militantes e prender tantos outros, conseguiu desmontá-la.

Entre os militantes encarcerados, destacaram-se os “3 de Angola”, Robert Hillary King, Albert Woodfox e Herman Wallace, que faleceu anos passado três dias após ser liberto de mais de 40 anos preso injustamente na solitária (ver AND nº 120, Herman Wallace, revolucionário).

Também entre eles encontra-se o conhecido preso político Mumia Abu-Jamal, que está no chamado “corredor da morte” desde 1982 acusado injustamente de ter assassinado um policial da Filadélfia. Já aos 62 anos, com problemas de saúde e enfrentando as inúmeras adversidades do cárcere, Abu-Jamal escreveu esta carta pela passagem dos 50 anos da fundação do Partido dos Panteras Negras que publicamos a seguir.

Quando dois jovens universitários se reuniram em um escritório do programa anti-pobreza em Oakland, Califórnia, em meados de outubro de 1966, ninguém — nem sequer eles mesmos — sabiam o que iam alcançar.

Os jovens Huey P. Newton, de 24 anos, e Bobby G. Seale, de 29 anos, saíram do escritório com o denominado Programa de 10 Pontos, que através da organização que eles fundaram — Partido Pantera Negra – afetaria a nação e entraria nas crônicas da história.

O Partido teve impactos globais e deixou uma grande marca em toda uma geração da juventude negra, assim como na resistência de classe.

Porém, como sabemos, isto aconteceu 50 anos atrás, faz uma vida inteira.

Quem teria sabido que qualquer um de nós ainda estaria vivo hoje?

No entanto, cinco décadas depois, alguns de nós ficamos nas celas do sistema carcerário. Somos presos políticos em tudo, menos o nome, quer dizer, sem o reconhecimento do governo.

Não esqueçamos nossos irmãos, irmãs e companheiros guerreiros nas cadeias:

– Sundiata Acoli, camarada preso político libertado; Assata Shakur; e do guerreiro caído Zayd Malik Shakur, capturado em 2 de maio de 1973. Sundiata é um escritor muito produtivo.

– Delbert Orr Africa, integrante da agrupação dos Panteras em Chicago que depois se uniu a organização MOVE. Forma parte do grupo de homens e mulheres conhecidos como “os 9 de MOVE”, encarcerados depois de um enfrentamento com a polícia da Filadélfia em 8 de agosto de 1978.

– Russell “Maroon” Shoatz, integrante do Conselho de Unidade Negra, afiliado com o Partido Pantera Negra na Filadélfia. Um brilhante escritor, historiador e pensador.

– Imam Jamil Abdullah Al-Amin (antes conhecido como ‘Rap’ Brown), Ministro da Justiça do Partido Pantera Negra, e depois ativista anti-droga en Atlanta. Líder comunitário e da mesquita local.

– Joseph “Jo-Jo” Bowen, da filial dos Panteras na Filadélfia.

– Robert Seth Hayes, dos Panteras em Nova Iorque, agora enfrenta graves condições de saúde, incluindo diabetes e hepatite C.

– Fred «Muhammad» Burton, dos Panteras na Filadélfia, agora encarcerado na prisão de SCI Somerset, PA.

– Dr. Mutulu Shakur, acupunturista de formação, foi considerado culpado de ajudar a Assata Shakur a libertar-se. É o carinhoso padrasto do lendário rapper Tupac Shakur.

– Jalil Muntaqim, dos Panteras em Nova Iorque. Era co-fundador, junto com a falecida líder revolucionária Safiya Bukhari, do Movimento Jericó em 1998, para informar as pessoas sobre os presos políticos e apoiar campanhas de libertação.

Estas são algumas das pessoas que têm passado décadas na prisão por suas revolucionárias atividades políticas durante os anos 60, 70 e 80. A maioria tem sido do Partido Pantera Negra e/ou o Exército de Libertação Negra (BLA) — lutadores pela liberdade da Nação Negra.

Não os esquecemos. Organizemos para conquistar sua liberdade e a de todos e todas nós. Para mais informação consultem ao Movimento Jericó em: thejerichomovement.com.

Passaram 50 anos incríveis desde que Huey e Bobby teceram o Programa de 10 Pontos e a Plataforma do Partido Pantera Negra para a Autodefesa.

Quantas vezes durante estes 50 anos vocês têm lido o Programa de 10 Pontos? E quantas vezes têm ficado assombrados sobre o fato de que as condições seguem sendo gravíssimas para milhões de pessoas negras?

Meio século depois e as vidas da gente negra ainda não importa.

Unamo-nos com nossos irmãos e irmãs jovens e ajudemos a construir um movimento de liberdade digno de nossos guerreiros e guerreiras caídos — e digno também de nossos antepassados.

Desde a nação encarcerada, sou Mumia Abu-Jamal.

Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Doaçom de valor livre:

Microdoaçom de 3 euro:

Adicionar comentário

Diário Liberdade defende a discussom política livre, aberta e fraterna entre as pessoas e as correntes que fam parte da esquerda revolucionária. Porém, nestas páginas nom tenhem cabimento o ataque às entidades ou às pessoas nem o insulto como alegados argumentos. Os comentários serám geridos e, no seu caso, eliminados, consoante esses critérios.
Aviso sobre Dados Pessoais: De conformidade com o estabelecido na Lei Orgánica 15/1999 de Proteçom de Dados de Caráter Pessoal, enviando o teu email estás conforme com a inclusom dos teus dados num arquivo da titularidade da AC Diário Liberdade. O fim desse arquivo é possibilitar a adequada gestom dos comentários. Possues os direitos de acesso, cancelamento, retificaçom e oposiçom desses dados, e podes exercé-los escrevendo para diarioliberdade@gmail.com, indicando no assunto do email "LOPD - Comentários".

Código de segurança
Atualizar

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar