Publicidade

Diário Liberdade
Quinta, 04 Mai 2017 00:25 Última modificação em Segunda, 08 Mai 2017 16:39

EUA testam sistema de ataque nuclear Destaque

Avalie este item
(0 votos)
País: Estados Unidos / Direitos nacionais e imperialismo / Fonte: Abril Abril

A Força Aérea dos EUA testou um missíl intercontinental nuclear esta madrugada, capaz de atingir qualquer ponto do mundo. É o segundo teste norte-americano nos últimos dias.

De acordo com um comunicado oficial do Comando de Ataque Global da Força Aérea dos EUA, o míssil Minuteman III foi lançado aos primeiros minutos desta quarta-feira a partir da base Vandenberg, na Califórnia, tendo atingido o Atol Kwajalein, nas Ilhas Marshall, no Pacífico.

O míssil balístico intercontinental (ICBM, na sigla em inglês) percorreu mais de 6500 quilómetros, apesar de estar preparado para viajar até 10 mil quilómetros, pouco menos que o diâmetro do planeta, sendo capaz de atingir qualquer ponto do mundo a partir de território norte-americano.

Já na última semana, os EUA realizaram um teste idêntico, cujo objectivo declarado é «verificar a precisão, a confiabilidade e a prontidão do sistema de armas ICBM», aponta a PressTV, citando o Pentágono.

O sistema de mísseis ICBM é uma das três componentes da «tríade estratégica nuclear dos EUA», em conjunto com esquadras de aviões bombardeiros e o sistema de mísseis balísticos submarinos.

Ontem, a Força Aérea norte-americana anunciou a ida de dois bombardeiros supersónicos para uma das bases aéreas que dispõe na República da Coreia (Sul), onde deverá participar em exercícios conjuntos com as congéneres coreana e japonesa.

Em simultâneo, os EUA estão a instalar um sistema de defesa antimíssil em plena Península da Coreia, na sequência da escalada, até agora, retórica face à República Democrática Popular da Coreia (Norte). No último mês, as Forças Armadas norte-americanas conduziram um ataque com mísseis Tomahawk sobre uma base aérea na Síria – o primeiro ataque declarado sobre as Forças Armadas sírias – e bombardeou um região junto à fronteira do Afeganistão com o Paquistão com a bomba mais poderosa do seu arsenal não-nuclear.

Ontem, o porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros chinês, Geng Shuang, exigiu aos EUA «para pararem a instalação» do sistema antimíssil. A posição estratégica em que o sistema está a ser colocado ameaça os sistemas de mísseis chinês e russo. Na República da Coreia, a decisão também enfrentou protestos. De acordo com a Reuters, mais de 900 pessoas participaram num protesto, na última semana, na região agrícola de Seongju, onde o sistema deve ser instalado.

Os EUA foram o único país a realizar bombardeamentos nucleares, em 1945, sobre as cidades japonesas de Hiroshima e Nagasaki. As ogivas nucleares que podem equipar os mísseis Minuteman têm um poder destrutivo mais de 20 vezes superior às bombas utilizadas no Japão.

Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Doaçom de valor livre:

Microdoaçom de 3 euro:

Adicionar comentário

Diário Liberdade defende a discussom política livre, aberta e fraterna entre as pessoas e as correntes que fam parte da esquerda revolucionária. Porém, nestas páginas nom tenhem cabimento o ataque às entidades ou às pessoas nem o insulto como alegados argumentos. Os comentários serám geridos e, no seu caso, eliminados, consoante esses critérios.
Aviso sobre Dados Pessoais: De conformidade com o estabelecido na Lei Orgánica 15/1999 de Proteçom de Dados de Caráter Pessoal, enviando o teu email estás conforme com a inclusom dos teus dados num arquivo da titularidade da AC Diário Liberdade. O fim desse arquivo é possibilitar a adequada gestom dos comentários. Possues os direitos de acesso, cancelamento, retificaçom e oposiçom desses dados, e podes exercé-los escrevendo para diarioliberdade@gmail.com, indicando no assunto do email "LOPD - Comentários".

Código de segurança
Atualizar

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar