Publicidade

Diário Liberdade
Segunda, 12 Junho 2017 17:08 Última modificação em Quinta, 15 Junho 2017 18:44

Guerra imperialista: Mais de 850 mortos por cólera no Iémen

Avalie este item
(0 votos)
País: Iémen / Saúde / Fonte: Abril Abril

O número de mortos pela epidemia de cólera que atinge o Iémen ascendeu a 859, segundo revelou, este domingo, a Organização Mundial da Saúde (OMS). O número de pessoas contagiadas é superior a 116 mil.

Os dados, revelados ontem na capital iemenita, Saná, mostram que 70 pessoas faleceram e 14 880 foram atingidas pela infecção bacteriana desde quinta-feira passada, dia em que a OMS apresentara o seu último balanço.

Os 859 mortos e 116 700 infectados são contabilizados desde 27 de Abril deste ano. A infecção por cólera tornou-se então epidémica, e encontra-se actualmente espalhada por 20 das 21 províncias do país árabe, informa a Prensa Latina.

Trata-se do segundo surto de cólera em menos de um ano no Iémen – o primeiro tornou-se epidémico em Outubro de 2016 e, até Dezembro, provocou 143 mortes, sobretudo na região de Al-Wehda (província de Saná).

De acordo com a OMS, cerca de 7,6 milhões de iemenitas vivem em regiões com alto risco de transmissão desta doença bacteriana, que se espalha através da ingestão de alimentos ou água contaminados.

As Nações Unidas têm chamado a atenção para a «grave crise humanitária» que se vive no país, à qual não são alheios os dois anos de ofensiva saudita e a destruição de muitas das suas infra-estruturas. Em meados de Maio, a OMS sublinhou que o número de pessoas infectadas poderia ultrapassar as 250 mil, chegando mesmo a 300 mil.
Guerra há mais de dois anos

Apoiada pelos EUA e o Reino Unido, e liderando uma coligação de países, em Março de 2015 a Arábia Saudita lançou uma poderosa ofensiva contra o seu vizinho do Sul, com ataques aéreos em vários pontos do país.

De acordo com estimativas recentes, a guerra de agressão contra o Iémen já provocou mais de 12 mil mortos entre a população civil. O objectivo, declarado, é recolocar no poder Abd Rabbuh Mansur Hadi, um aliado próximo de Riade que se demitira da presidência, e esmagar a resistência do movimento Ansarullah.

Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Doaçom de valor livre:

Microdoaçom de 3 euro:

Adicionar comentário

Diário Liberdade defende a discussom política livre, aberta e fraterna entre as pessoas e as correntes que fam parte da esquerda revolucionária. Porém, nestas páginas nom tenhem cabimento o ataque às entidades ou às pessoas nem o insulto como alegados argumentos. Os comentários serám geridos e, no seu caso, eliminados, consoante esses critérios.
Aviso sobre Dados Pessoais: De conformidade com o estabelecido na Lei Orgánica 15/1999 de Proteçom de Dados de Caráter Pessoal, enviando o teu email estás conforme com a inclusom dos teus dados num arquivo da titularidade da AC Diário Liberdade. O fim desse arquivo é possibilitar a adequada gestom dos comentários. Possues os direitos de acesso, cancelamento, retificaçom e oposiçom desses dados, e podes exercé-los escrevendo para diarioliberdade@gmail.com, indicando no assunto do email "LOPD - Comentários".

Código de segurança
Atualizar

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar