Publicidade

Diário Liberdade

[Dênis de Moraes*] Em um dos seus textos mais imprescindíveis, lido ao receber o título de professor emérito da Universidade de São Paulo no dia 28 de agosto de 1997 e publicado postumamente em livro, pela primeira vez, em Combates e utopias: os intelectuais num mundo em crise, por mim organizado1, Milton Santos delineou o cenário que hoje se consolida: a “instrumentalização pela mídia” de intelectuais que trabalham no interior das organizações do setor, ou que, vinculados à academia, ao mercado ou a instituições específicas, com elas se entrelaçam por convergências político-ideológicas ou motivações outras. Não escapou à aguda percepção do mestre da geografia humana que a reputação do intelectual já não depende do valor de sua obra e da força de suas tomadas de posição; agora, confunde-se com a consagração pelas engrenagens midiáticas, baseada na visibilidade alcançada pela inserção nos veículos por elas controlados. Daí a reação de Milton contra o declínio da figura do intelectual crítico na sociedade de telas e monitores: “Nosso trabalho não é produzir flashes, frases, mas ajudar a produzir consciência. A cautela do intelectual perante a mídia televisiva não significa recusá-la, porque ele necessita da difusão de seu trabalho. Mas é necessário ser prudente, prudência que vem apenas da consciência plena do papel que temos para exercer.”

Publicado em Mundo

[Tradução do Coletivo Vila Vudu] A ação de determinado setor da mídia comercial nos EUA, para a qual uma suposta ação de hackers russos teria tido interferência muito ativa nas eleições nos EUA, pode ter surgido de tentativas bem-sucedidas, dos serviços de inteligência dos EUA, para limitar a publicação dos arquivos da Agência de Segurança Nacional de que Edward Snowden conseguiu apossar-se.

Publicado em Mundo

Os grandes veículos de comunicação e o sistema judiciário são os meios pelos quais um plano golpista está sendo executado em toda a América Latina, com destaque especial para o Brasil.

Publicado em Brasil
Quinta, 11 Mai 2017 12:59

Por que se fala de guerra cultural?

[Elier Ramírez Cañedo] Os Estados Unidos têm uma vasta experiência na prática da guerra cultural contra todo projeto alternativo a sua hegemonia no ambiente internacional. A CIA e a guer-ra fria cultural, de Frances Stonor Saunders, constitui um livro imprescindível – a pesquisa mais completa sobre o tema – para compreender esta realidade. Este livro demonstra como, nos anos da Guerra Fria, o programa de guerra psicológica e cultural da CIA contra o bloco socialista foi sua joia mais prezada.

Publicado em Mundo

Repórter Brasil analisou os três principais impressos e os dois maiores telejornais. O espaço para vozes contrárias é raro, e o apoio à proposta do governo é amplo: vai de 62%, no caso da Record, a 91%, no da TV Globo

Publicado em Brasil
Sexta, 17 Junho 2016 18:43

A censura à imprensa volta ao Brasil

Por Eduardo Vasco

A comunicação sempre foi uma das formas mais eficazes de garantir a manutenção de um regime de dominação.

Publicado em Brasil

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar