Publicidade

Diário Liberdade
Publicidade
Publicidade
Quarta, 28 Fevereiro 2018 17:43 Última modificação em Terça, 06 Março 2018 20:40

As Forças Armadas estão dominadas pelos golpistas e elas estão dominando o governo

Avalie este item
(2 votos)
País: Brasil / Batalha de ideias / Fonte: PCO

Muito se fala sobre um suposto confronto no interior das Forças Armadas entre uma “esquerda” que mais precisamente poderia ser chamada de “legalista” e uma direita golpista. Os que defendem essa tese colocam o comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, como um representante dessa ala “legalista” e o general Sérgio Etchgoyen como representante da ala direita.

Muitos ainda chegaram a se confundir quando o general Hamilton Mourão deu declarações abertas defendendo o golpe militar, colocando-o como um líder da ala direita. O desenvolvimento dos acontecimentos mostraram que Mourão, embora seja um representante inclusive de uma ala extrema-direita do Exército, é minoritário no interior das Forças Armadas. Revelou-se que Etchegoyen em sua posição de chefe do sistema de inteligência no governo é na realidade o principal representante de uma ala mais direitista, e que na realidade, como os fatos vêm mostrando, é a ala que dá as cartas nas Forças Armadas.

Os que defendem a ideia de que há duas alas, dizem isso para defender a tese de que não se deveria criticar o Exército pois de alguma maneira isso favoreceria a ala direita. As críticas deveriam ser voltadas a atacar Michel Temer, mostrando que os militares na realidade estariam apenas cumprindo ordens, de maneira a fortalecer a suposta ala “legalista”. Nada poderia estar mais equivocado.

Em primeiro lugar, o desenvolvimento da situação e os fatos recentes indicam não ser correta a ideia de que Villas Bôas seria um representante de uma ala “legalista”. Na melhor das hipóteses, Villas Bôas é um homem de declarações mais amenas, que servem em última instância mais para confundir o panorama político. Mas mesmo do ponto de vista de suas declarações, Villas Bôas vem mostrando que não é um representante de uma suposta – se é que exista – ala “legalista”. É dele, comandante do Exército, a declaração de que os militares no Rio de janeiro deveriam ter carta branca para fazerem o que for necessário sem que no futuro haja uma “comissão da verdade”. Esta está muito longe de ser uma declaração legalista, muito menos de uma ala “esquerda”.

Se em algum momento tivesse sido correto dizer que Villas Bôas representou uma ala dita legalista, suas declarações revelam que esta ala já se entregou totalmente para a ala golpista, ela fala o que a direita quer.

Portanto, só há duas possibilidades: ou não existe essa ala ou ela é completamente refém da ala golpista. Outro dado é que Villas Bôas, desde as primeiras declarações de Mourão, nunca abriu a boca para criticar as declarações mais golpistas e direitistas que saiam das Forças Armadas, pelo contrário, fazia questão de elogiar seus amigos.

De qualquer modo, se existe uma ala legalista nas Forças Armadas – é possível que exista e não é Villas Bôas – ela está esmagada. É preciso criticar duramente a ação do Exército justamente para desmoralizar e desmascarar o que está sendo feito. Só há um setor do exército que discorda do golpe militar, esse setor só terá condições de se fortalecer se a outra ala for derrotada. Por isso, é preciso atacar a política dos militares de conjunto, que significa atacar a política da ala direita que nesse momento domina inclusive o governo golpista.

Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Doaçom de valor livre:

Microdoaçom de 3 euro:

Adicionar comentário

Diário Liberdade defende a discussom política livre, aberta e fraterna entre as pessoas e as correntes que fam parte da esquerda revolucionária. Porém, nestas páginas nom tenhem cabimento o ataque às entidades ou às pessoas nem o insulto como alegados argumentos. Os comentários serám geridos e, no seu caso, eliminados, consoante esses critérios.
Aviso sobre Dados Pessoais: De conformidade com o estabelecido na Lei Orgánica 15/1999 de Proteçom de Dados de Caráter Pessoal, enviando o teu email estás conforme com a inclusom dos teus dados num arquivo da titularidade da AC Diário Liberdade. O fim desse arquivo é possibilitar a adequada gestom dos comentários. Possues os direitos de acesso, cancelamento, retificaçom e oposiçom desses dados, e podes exercé-los escrevendo para diarioliberdade@gmail.com, indicando no assunto do email "LOPD - Comentários".

Código de segurança
Atualizar

Publicidade
Publicidade

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar