Publicidade

Diário Liberdade
Publicidade
Publicidade
Sexta, 29 Abril 2016 12:40 Última modificação em Domingo, 01 Mai 2016 18:13

Frente Povo Sem Medo manda recado a Temer: estradas e avenidas fechadas em nove estados brasileiros

Avalie este item
(0 votos)
País: Brasil / Resenhas / Fonte: RBA

Para os movimentos, são falaciosas as afirmações de Temer de que fará o ajuste das contas públicas, sem aumentar impostos e mantendo os programas sociais.

A Frente Povo Sem Medo, liderada pelo Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), deu hoje (28) um exemplo de como será a reação dos movimentos sociais caso a presidenta Dilma Rousseff seja afastada do cargo pelo Senado, abrindo caminho para um governo do vice-presidente, Michel Temer. Em nove estados, foram travadas 50 rodovias e avenidas ao longo do dia. “Se continua este processo, se leva a cabo essa agenda que estão dizendo por aí, nós vamos ter uma convulsão social e não apenas provocada pelos movimentos”, afirmou o coordenador nacional do MTST, Guilherme Boulos.

Para Boulos, são falaciosas as afirmações de Temer de que fará um rigoroso corte nas contas públicas, sem aumentar impostos e ao mesmo tempo mantendo os programas sociais. “Não há como fazer um ajuste fiscal profundo e manter investimentos sociais. Essa conta não fecha. É uma conta demagógica”, afirmou. Para ele, a população logo vai perceber o que significam essas propostas. “Se se corta o repasse do FGTS para subsidiar programas sociais, como o Minha Casa, Minha Vida, qual vai ser a opção das seis milhões de famílias que não têm casa no Brasil? Inevitavelmente, vai ser fazer ocupações e mobilizações”, disse o ativista.

Os sem-teto reafirmaram que não vão reconhecer um eventual governo Temer e rechaçaram duas informações noticiadas recentemente: de que estariam negociando com o vice-presidente e que discutiram com Dilma e aceitariam a proposta de convocar novas eleições presidenciais a partir da aprovação de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC). Quanto à primeira, Boulos taxou a notícia de “descalabro”. “Isso é um absurdo. Nós não buscamos interlocução alguma a esse respeito. Os jornalistas que fizeram essa matéria precisam ter mais seriedade.”

"Houve uma agenda de movimentos com a presidenta Dilma, mas não foi abordada nova eleição. O que foi cobrado é que a presidenta dê gestos e tome posicionamentos mais claros em relação ao conjunto da base social que esteve nas ruas nos últimos meses para barrar o processo golpista que existe no país", completou Boulos.

Segundo o movimento, dois manifestantes ainda estão na delegacia após terem sido detidos nos atos. Houve repressão policial na Avenida Jacú-Pêssego, na zona leste, e na Marginal Tietê, próximo à Avenida do Estado. Para Boulos, trata-se criminalização dos movimentos de esquerda, já que quando 20 manifestantes pró-impeachment travaram a Avenida Paulista, por mais de 24 horas, não houve repressão policial. “Dois pesos, duas medidas não dá. Quando é na Avenida Paulista de verde e amarelo prevalece o direito à manifestação. Mas quando é na periferia de vermelho prevalece o direito de ir e vir?”, questionou.

Os movimentos incendiaram pneus e pedaços de madeira para travar as rodovias Anchieta, Raposo Tavares, Rodoanel Mário Covas, Anhanguera e Bandeirantes, em São Paulo – além das avenidas Radial Leste, Giovanni Gronchi, Teotônio Vilela e das Marginais Tietê e Pinheiros –; BR 277, no Paraná; BR 365, em Minas Gerais; BR 153, em Goiás; entre outras.

A Frente Povo Sem Medo vai participar, em parceria com a Frente Brasil Popular, dos atos de 1º de maio em todo o Brasil. Em São Paulo, o ato vai ocorrer no Vale do Anhangabaú,centro da capital paulista, a partir das 10h. Para a próxima semana, antes da votação no Senado, os movimentos sociais e sindicatos estão organizando um dia nacional de paralisações. “E o MTST não vai parar de realizar suas ações em todo o país”, avisou Boulos.

Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Doaçom de valor livre:

Microdoaçom de 3 euro:

Adicionar comentário

Diário Liberdade defende a discussom política livre, aberta e fraterna entre as pessoas e as correntes que fam parte da esquerda revolucionária. Porém, nestas páginas nom tenhem cabimento o ataque às entidades ou às pessoas nem o insulto como alegados argumentos. Os comentários serám geridos e, no seu caso, eliminados, consoante esses critérios.
Aviso sobre Dados Pessoais: De conformidade com o estabelecido na Lei Orgánica 15/1999 de Proteçom de Dados de Caráter Pessoal, enviando o teu email estás conforme com a inclusom dos teus dados num arquivo da titularidade da AC Diário Liberdade. O fim desse arquivo é possibilitar a adequada gestom dos comentários. Possues os direitos de acesso, cancelamento, retificaçom e oposiçom desses dados, e podes exercé-los escrevendo para diarioliberdade@gmail.com, indicando no assunto do email "LOPD - Comentários".

Código de segurança
Atualizar

Publicidade
Publicidade

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar