Publicidade

Diário Liberdade
Quarta, 04 Outubro 2017 16:45 Última modificação em Terça, 31 Outubro 2017 19:48

EUA fazem hoje com juízes brasileiros o que fizeram com sindicalistas na época da ditadura

Avalie este item
(4 votos)
País: Brasil / Direitos nacionais e imperialismo / Fonte: Carta Campinas

O livro Disseram que voltei americanizado, de Larissa Rosa Corrêa, que expõe as estratégias dos EUA em relação aos sindicalistas brasileiros na época da ditadura militar, não revela somente o passado, mas também a situação atual do Brasil.

A pesquisadora, que defendeu o doutorado na Unicamp, revela que o governo americano, durante a ditadura brasileira (1964-1985) fomentou uma série de atividades, como viagens, cursos e palestras nos EUA, com o objetivo de formar novas lideranças capazes de implantar e desenvolver o modelo sindical norte-americano no Brasil. Segundo Larissa, essas atividades eram realizadas com o apoio dos setores mais anticomunistas e conservadores do movimento sindical brasileiro.

As estratégias ideológicas de poder dos EUA sobre outros países parecem ter mudado desde o fim da guerra fria, no final dos anos 80. Se na época da ditadura militar, os EUA treinavam sindicalistas brasileiros para combater o comunismo, hoje treinam juízes como Sérgio Moro, conforme revelou o jornal The Washington Post.   Aliás, é comum o juiz da Lava Jato citar o direito norte-americano em suas palestras para líderes dos PSDB. Talvez não seja coincidência que, na última décadas, vários países da América Latina tiveram golpes de fundo jurídico-parlamentar: Honduras, Paraguai e Brasil. Seria interessante fazer um levantamento de quantos juízes brasileiros foram fazer palestras e cursos nos EUA nos últimos dez anos.

A partir de uma grande pesquisa documental realizada no Brasil e nos arquivos diplomáticos norte-americanos, Larissa delimitou o trabalho sobre a influência norte-americana nos sindicatos brasileiros entre os anos de 1960 e 1970. “As atividades foram organizadas pelo Instituto Americano para o Desenvolvimento do Sindicalismo Livre (Iadesil), que, por sua vez, possuía duas metas claras: apoiar a eliminação do que considerava “influências comunistas” nos sindicatos latino-americanos, e promover sua ideia de sindicalismo independente do Estado”, anota texto de Beatriz Maia, do Labjor Unicamp.

Para a pesquisadora, os relados das viagens dos sindicalistas brasileiros mostram encantamento com os Estados Unidos, mas podem ter percebido que teriam muito a perder com o modelo americano. Se antes havia o Instituto Americano para o Desenvolvimento do Sindicalismo Livre, hoje temos o Movimento Brasil Livre, que apoia os juízes treinados nos EUA.

Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Doaçom de valor livre:

Microdoaçom de 3 euro:

Adicionar comentário

Diário Liberdade defende a discussom política livre, aberta e fraterna entre as pessoas e as correntes que fam parte da esquerda revolucionária. Porém, nestas páginas nom tenhem cabimento o ataque às entidades ou às pessoas nem o insulto como alegados argumentos. Os comentários serám geridos e, no seu caso, eliminados, consoante esses critérios.
Aviso sobre Dados Pessoais: De conformidade com o estabelecido na Lei Orgánica 15/1999 de Proteçom de Dados de Caráter Pessoal, enviando o teu email estás conforme com a inclusom dos teus dados num arquivo da titularidade da AC Diário Liberdade. O fim desse arquivo é possibilitar a adequada gestom dos comentários. Possues os direitos de acesso, cancelamento, retificaçom e oposiçom desses dados, e podes exercé-los escrevendo para diarioliberdade@gmail.com, indicando no assunto do email "LOPD - Comentários".

Código de segurança
Atualizar

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar